Blupet
Olá visitante, faça login para participar:
Pergunta em aberto

meu filhote tem um pessimo abito de comer coco o que posso fazer pra ela para?

259 visualizações

Respostas


Tente dar ração sempre que ele tiver fome e recolha o côcô antes que ela coma,às vezes ela sente o cheiro do leite,e resolve colocar para dentro de novo.

Olá Leona!

A coprofagia (nome correto do ato do cachorro comer cocô) pode tanto ter motivações comportamentais como metabólicas, e identificar a origem do problema é uma das primeiras providências a se tomar para poder excluir esse hábito da vida de um pet. Neste caso, a visita a um médico veterinário é fundamental, já que somente um profissional poderá distinguir com clareza as causas desse comportamento e indicar o tratamento mais adequado.
Mesmo sendo bastante difícil a identificação da origem do problema, testes e exames mais profundos podem apontar uma motivação mais concreta se o caso for desencadeado por uma deficiência nutricional – no entanto, a maioria das ocorrências desse hábito tem uma fundamentação comportamental, tornando as causas indeterminadas e até mais complicadas de resolver.
As principais situações que podem influenciar no aparecimento da coprofagia em cães são:

* Fome: tendo em vista que as fezes não são repugnantes para os cães, eles podem acabar comendo-as pelo simples fato de estarem fome e não terem alimentos apropriados disponíveis.
* Deficiência nutricional: a carência nutritiva no cachorro pode fazer com que ele busque nutrientes nas fezes de outras espécies, que podem ser consideradas pelo animal, até mesmo, como um petisco.
* Deficiência de enzimas digestivas e pancreáticas: nestes casos, o fornecimento adequado das enzimas que faltam ao animal já podem resolver o problema.
* Má digestão: a ingestão exagerada de alimentos pode fazer com que não sejam digeridos de maneira correta. Com isso, o cocô cheio de alimentos pode se tornar atarente para um cachorro com fome.
* Vermes: a presença de vermes pode levar o cão a uma deficiência nutricional, desencadeando a coprofagia.
* Filhotes recém-nascidos: cadelas que acabaram de dar cria tendem a se alimentar das fezes de seus filhotes para manter o ninho limpo.
* Tédio, ansiedade e estresse: esses tipos de sentimento podem contribuir para o aparecimento de uma série de comportamentos estranhos dos cães, incluindo a coprofagia. Cães que ficam presos ou sozinhos durante períodos muito longos tendem a desenvolver o problema com mais frequência.
* Falta de atenção dos donos: o animal pode comer as próprias fezes para chamar a atenção do dono, já que, quando isso ocorre, ele se torna o centro das atenções para seu proprietário (mesmo que seja alvo de reprimendas).
* Punição excessiva: quando o cachorro defeca no local errado e é muito punido por isso, pode acabar comendo seu próprio cocô para evitar novas broncas.
* Distribuição errada de espaço para o animal: manter muito próximos os locais em que o cachorro dorme, se alimenta e faz suas necessidades pode levar a este tipo de comportamento, fazendo com que o animal coma suas fezes para manter o espaço mais limpo.

Enfim, caso a origem do problema seja alguma doença ou deficiência nutricional, a exclusão do problema e a adoção de uma dieta mais completa já podem ser o suficiente para acabar com o hábito; no entanto, motivações comportamentais exigem mais cuidados. Algumas dicas que deixo são:

* Evite deixar que sujeira e as necessidades do cão se acumulem nos ambientes em que ele circula;
* Evite brigar demais com o cão quando ele urina ou defeca em locais errados, e busque técnicas de adestramento para impedir que isso aconteça, ao invés de ser agressivo com o animal;
* Mantenha o animal na coleira enquanto ele faz suas necessidades, e o distraia quando terminar para que não busque as próprias fezes;
* Alimente seu pet com uma dieta balanceada e três refeições diárias, impedindo a carência de nutrientes e a má digestão;
* Leve seu pet ao veterinário com frequência para a realização de check-ups de rotina;
* Mostre ao cão que aquele hábito é errado, chamando sua atenção com um alto e sonoro “não” toda vez que ele repetir o comportamento;

Enfim, crie uma rotina de distrações para o animal sempre que ele fizer suas necessidades; oferecendo petiscos, brinquedos e carinhos para desviar sua atenção das fezes.
Imagem rodapé

© 2013 Sopa Team

Voltar ao topo