Blupet
Olá visitante, faça login para participar:
Pergunta em aberto

Qual era o RAÇA do cão comprado por Horatio Nelson Jackson?

156 visualizações

Respostas


Agradecimento especial ao Daniel Médici, do blogue Cadernos do Automobilismo, pela paciência. Foi ele quem mandou a foto acima e o texto abaixo, apenas cinco anos atrás. Minha lerdeza fez com que este material (e alguns outros, que espero desovar logo) ficasse sepultado durante todo esse tempo na minha caixa postal.
Segue o texto do Daniel. Como é de cinco anos atrás, pode ser que alguma coisa esteja desatualizada e que nosso piloto misterioso já não seja tão misterioso assim. Mas vale o registro.
Olá Pandini,

Encontrei esta imagem enquanto flaneava pela internet. Creio ser algo digno do selo Mosca Blanca, explico por quê.

Trata-se de um piloto espanhol tão obscuro que sequer o nome dele consigo precisar. Em um site, seu nome encontra-se escrito de três (!!) formas: César Azpezleguía, César Azpezieguía e César Apezteguía.Creio que esta última versão esteja mais perto da realidade, pois ele aparece como Jesus-Maria Apezteguia em uma outra fonte.

A foto foi tirada em Pedralbles, em 1950, em um evento de Fórmula 1 não-válido para o Campeonato Mundial, o décimo GP de Penya Rhin, vencido por Ascari.

Nosso piloto ‘x’, para correr, tomou a Talbot-Lago T26C emprestada de Paul Vallée, um dos donos da Ecurie France. No entanto, o mesmo Vallée vendeu o carro para um australiano, Harry Dale, antes da corrida, de forma que, apesar de ter participado dos treinos, César, ou Jesus-Maria, não pôde participar da prova.

Um piloto sem identidade precisa correndo nos treinos de um GP não-válido para o mundial em 1950… Não é algo que se veja todo dia.
Tenho somente uma coisa a acrescentar: Harry Dale sequer tomou parte do GP de Penya Rhin. Aliás, eu nada consegui descobrir sobre Harry Dale. Por fim: o “mais um” do título do post se deve ao La Mosca Blanca número 61, sobre outra figura pouco conhecida do automobilismo mundial – e que pretendia continuar assim.
ATUALIZAÇÃO – Camarada Wagner Gonzalez elucida detalhes sobre o piloto misterioso. segue seu relato:
“Anos atrás, quando eu ainda morava na Europa, fui convidado para traduzir , do espanhol para o inglês, o livro “Los Grandes Premios de la Penya Rhin”, escrito pelo Pablo Gimeno Valledor e bancado pelo Joachim Folch, piloto que disputa prova de F1 Histórica. No ano de 1949 a lista de inscritos publicada no livro traz o nome de César Azpezteguía, com um Talbot #46 da equipe de L. Rosier, quando terminou em 7. lugar, 11 voltas atrás do vencedor Luigi Viloresi. Em 1950 ele voltou a se inscrever com o Talbot Lago T26C (chassi 110.007) identificado pelo número 28, mas não chegou a largar. Abraços, Wagner Gonzalez.”
Registro feito, Beegola. Apenas como curiosidade, o site StatsF1, que lista praticamente todo mundo que um dia sentou-se em um carro de F1 (se eu procurar bem, deve ter até meu nome lá) chama o piloto de Jesus-Maria Apezteguia. Creio que Beegola teve acesso a documentos oficiais, o que torna sua pesquisa a mais confiável até aqui.
Imagem rodapé

© 2013 Sopa Team

Voltar ao topo