Blupet
Olá visitante, faça login para participar:
Pergunta respondida

Quais doenças os cães e gatos podem transmitir aos humanos?

324 visualizações

Respostas

Melhor resposta

As zoonoses mais comuns

• Micoses (Cão, gato e coelho). Não deixar o animal dormir em locais úmidos. Manter sempre a sua casinha limpa. Se ele apresentar queda de pêlo ou áreas redondas sem pêlos, deve-se consultar um veterinário.

• DAG - Doença da Arranhadura do Gato: causada pela bactéria Bartonella henselae, é conhecida na França, desde 1950, ocasiona uma lesão acentuada e indolor na pele, que pode durar meses. No local da arranhadura ou mordedura, surge uma bolha consistente que logo desaparece. Dias depois, surge na região um gânglio aumentado e persistente. Em geral, esse mal é diagnosticado, quando se procura afastar a hipótese de um câncer. Embora essa doença seja autolimitada e benigna em pessoas saudáveis, pode trazer sérias complicações em pessoas com o sistema imunológico deprimido por HIV e outras razões. A infecção pela bactéria pode trazer conseqüências graves, como a angiomatose bacilar (doença sistêmica que provoca lesões por toda a pele e pode afetar o fígado, baço e o sistema nervoso central).

• Sarna sarcóptica causada por ácaro (Cão, gato, coelho e cavalo): dar banho nos animais a cada 15 dias e, semanalmente, trocar os panos da cama.

• Criptococose (Cão, gato, ovinos, pombos e primatas): doença provocada por um cogumelo com forma de levedura (fungo) e que se manifesta mais freqüentemente na forma de uma meningite subfebril, com evolução crônica acompanhada de hipertensão intracraniana e presença de leveduras no líquido cefalorraquidiano. Na maioria das vezes, a porta de entrada do germe são os pulmões.

• Brucelose (Cão): doença infecciosa do rebanho (vacas, cabras e carneiros), causada pela Brucella melitentis. Pode durar meses, ocasionando febre irregular, suores nortunos, dores no corpo, fadiga muito intensa e aumento do volume do fígado. Transmissão: secreções vaginais, fetos e secreções do parto. Os machos contaminam as fêmeas no acasalamento. Prevenção: acasalar apenas os animais não contaminados. Por isso, deve-se fazer teste de brucelose antes do acasalamento. Devem ser usadas luvas para o auxílio às fêmeas no parto.

• Lepstospirose (Cão): causada por bactéria presente na urina dos ratos que contamina a água de enchente, lama etc. Transmissão: é transmitida às pessoas quando a pele com pequenas lesões entra em contato com locais e objetos contaminados pela urina de ratos doentes. Prevenção: à noite, não deixar comida em vasilhames destampados. Combater os ratos, vacinar anualmente os animais; em áreas endêmicas, a cada 6 meses.

• Raiva (Cão, gato, primatas e cavalo). Transmissão: mordida de morcego hematófago ou de animal doente. O vírus encontra-se presente na saliva de animais infectados. Prevenção: vacinação anual a partir dos 4 meses de vida.

• Ancylostoma ou larva migrans cutânea/Bicho geográfico (Cão). Transmissão: contato com areia contaminada com fezes de cães. Prevenção: fazer exames de fezes semestralmente. Não deixar que os cães evacuem nas praias. Recolher as fezes das gramas, calçadas e parques.

• Dipylidium canino ou Tênia (Cão e gato): parasita intestinal bastante comum, não traz sérios perigos ao animal infectado, embora possa provocar irritação na região anal. As duas formas de infecção são: ao se coçar, ou ao se lamber, o animal pode engolir pulgas acidentalmente. Caso a pulga engolida estiver contaminada por larvas do dipylidium, o animal se infectará também. Transmissão: contato com fezes contaminadas. As pulgas fazem parte do ciclo de transmissão. Prevenção: Exames de fezes periódicos e combate à infestação de pulgas.

• Doença de Lyme (Cão): causada pela bactéria espiroqueta Borrelia burgdorferi, transmitida por carrapatos

Imagem rodapé

© 2013 Sopa Team

Voltar ao topo