Blupet
Olá visitante, faça login para participar:
Pergunta em aberto

Porque alguns cães reagem agressivamente somente com crianças

393 visualizações

Respostas


A agressividade é um sinal comportamental comum e que raramente tem origem exclusivamente orgânica. Na natureza, de acordo com a situação em um determinado momento, o cão exibe diferentes tipos de agressão.

O comportamento agressivo é todo aquele que tem como objetivo intimidar ou machucar uma pessoa ou um outro animal.

Para os cães que têm comportamento agressivo grave que possa comprometer a integridade física dos membros da família e de outros cães, é indicado o tratamento medicamentoso com o intuito de auxiliar o processo de modificação do comportamento.

Sendo assim, podemos dividir a ocorrência do comportamento agressivo em grupos e relacionar cada um deles com diferentes tipos de situação.

1. Agressividade ao Dono

Em relação ao dono e aos membros da família, o cão pode apresentar tipos de comportamento agressivo que podem estar divididos em: agressividade relacionada ao medo e a agressividade relacionada a crianças.

1.1. Agressividade Relacionada ao Medo

Este é um tipo de agressividade bem comum e bastante perigoso. Cães que são reprimidos por seus donos através de punição física têm grandes chances de começarem a atacálos para se defender.

Filhotes que são mal socializados ou que apanham podem ficar traumatizados e, ao se tornarem adultos e se depararem com uma situação aparentemente ameaçadora, como por exemplo o dono vir em sua direção para abraçálo, o comportamento agressivo relacionado ao medo virá à tona e o cão atacará seu dono.

Cães que apresentam este distúrbio comportamental são muito ansiosos, não pedem por carinho e preferem ficar isolados. É natural e adaptável para os cães sentirem medo de estímulos estranhos e apresentarem uma agressividade relacionada a este medo para que o estímulo responsável pelo medo ou ansiedade vá embora.

Portanto, o processo de socialização deve ser muito bem feito para habituar o animal a estímulos que normalmente desencadeiam o medo como aspirador de pó, cortadores de grama, ciclistas, trovões,automóveis e hospitais veterinários. Mas o mais importante para que o cão não demonstre agressividade é nunca usar de agressão física para punilo.

1.2. Agressividade a Crianças

Os cães também podem apresentar agressividade relacionada às crianças. Alguns cães reagem agressivamente somente com crianças, pois as crianças estão no mesmo nível de visão (altura) dos cães e seus olhares fariam o cão achar que elas estariam encarandoos sendo isto percebido como uma ameaça, fazendo com que os cães tomem uma atitude defensiva.

A tendência em atacar (crianças) está mais relacionada à reatividade do que a outros tipos de agressividade, e raças pequenas são quase sempre mais reativas que raças maiores. Portanto, raças pequenas não são muito apropriadas para famílias que possuem crianças pequenas.

Se um cão jovem aparenta ter medo de crianças, elas devem ser apresentadas ao cão de uma maneira tranquila. Quanto mais velho for o cão, mais difícil será o processo de habituação.

1.3. Agressividade Dirigida a Estranhos

Uma questão que deve ser lembrada quando falamos em agressão a pessoas estranhas é a posse responsável e novamente deve ser citado aqui o processo de socialização do animal em relação às pessoas que ele irá se deparar quando for passear na rua ou em um parque, por exemplo.

1.4 Agressividade Territorial

A agressividade territorial pode ser observada na casa, no gramado, na vizinhança, durante um passeio, dentro do carro ou em qualquer lugar que o cão tende a frequentar e marcar com sua urina.

Este comportamento é complicado pelo medo e poderá piorar se o cão ficar acorrentado por períodos prolongados.

Aqui o tratamento se baseia na prevenção, diminuindo a visão ou o acesso do cão à rua; cães gravemente afetados devem receber focinheiras, principalmente quando forem passear e também pode ser usada a modificação ativa do comportamento.

1.5 Agressividade Relacionada ao Medo

Este tipo de comportamento é defensivo e pode acontecer em diversas situações ameaçadoras como na clinica veterinária, em exposições caninas ou durante caminhadas.

Quando o cão não está acostumado (socializado), homens muito grandes, crianças, pessoas que parecem estar se movimentando de modo estranho (como os deficientes físicos) ou outras situações incomuns podem causar medo.

1.6. Agressividade Predatória

Mesmo depois de todo o processo de domesticação do cão primitivo, o instinto predatório essencial para a sobrevivência sempre esteve presente.

O cuidado que devemos tomar aqui é com os bebês, principalmente os recém nascidos que em resposta ao seu odor ou ao seu choro, o instinto predatório do cão pode aflorar e as consequências seriam devastadoras.

1.4 Agressividade Direcionada para Animais

Estes tipos de agressividade partilham de componentes instintivos muito fortes. Entre eles, podemos citar a luta para chegar à posição de líder na matilha e a predação.

1.5. Agressividade Dirigida a Cães da Mesma Casa

Lutas caninas domésticas frequentemente são conflitos de dominância, tipicamente entre cães do mesmo sexo. Tais combates podem ser lesivos e mesmo fatais (no caso de briga entre duas fêmeas).

Estas brigas inconscientemente são provocadas pelos próprios proprietários, pois eles tentam dar o mesmo tratamento para ambos os cães e, às vezes, favorecem o mais fraco e submisso invertendo ou neutralizando a hierarquia que já existia fazendo com que o cão, que outrora era o dominante, tente novamente conquistar o seu lugar na matilha, e outra briga (disputa) acontecerá.

A hierarquia pode não estar bem definida para os cães e eles se mantêm em uma constante disputa para ver quem consegue uma atenção maior do membro dominante da matilha, que no caso seria o proprietário.

Respeite a hierarquia natural entre seus cães. Alimente, afague e leve para passear na ordem de dominância, sem se sentir culpado, pois esta é uma condição natural para eles e isto evita brigas e confusões.

Diferenças significantes de raça, temperamento, sexo e idade dos cães facilita a estabilidade da hierarquia, evitando as disputas, como por exemplo viverem juntos um Dog Alemão e um Poodle.

1.6. Agressividade Dirigida a Cães Desconhecidos

Os ataques a cães estranhos podem ocorrer antes ou depois da investigação que o cão agressor faz sobre o sexo e a atitude do cão alvo.

Este tipo de agressividade normalmente acontece quando a socialização do cão não foi bem feita, ou seja, se ele não teve contato com outros cães, pessoas e barulhos em geral na fase correta do seu desenvolvimento social.

É importante não se mostrar amedrontado nem tensionar a guia ao passar por outros cachorros para que seu cão não os relacione com perigo . Ignoreos e continue andando. Procure fazer seu cão ter associações positivas na presença de outros cachorros dando a ele um brinquedo ou um agrado, ou mesmo comida quando ele ou você avistar outro cão. Com isso, seu cão, na próxima vez que se deparar com outro cão irá associálo com a brincadeira.

1.7 Agressividade Dirigida a Outros Animais

O comportamento que os cães exibem aqui é predatório, sendo difícil eliminar este comportamento instintivo.

O que se pode fazer é habituar o convívio entre os animais realizando uma aproximação segura entre os dois até que eles se ignorem. Caso ocorra uma resposta de caça, devese retomar a habituação.

2. Agressividade Transferida

Quando dois cães que vivem harmoniosamente começam a se morder no momento em que outro cão passa do lado de fora da cerca, estao demonstrando um comportamento de agressividade transferida.

Ao bater no cão, pode ser que a pessoa seja dominante e forte o bastante para evitar um ataque contra si, mas este ataque talvez seja redirecionado para outros membros da família como as crianças e, dependendo do porte do cão, isto pode ser bem perigoso.

3. Agressividade por Dominância

A agressividade por dominância é uma das formas mais comuns de agressividade em cães e se manifesta por um consistente e atípico comportamento agressivo contra as pessoas. Estes comportamentos incluem rosnar, agarrar e morder. É importante salientar que mordidas geralmente são precedidas por um aviso vocal.

A falta de compreensão sobre a natureza da agressividade por dominância em cães tem levado muitos proprietários a tentar lidar com este desvio de comportamento usando de punição física, ou seja, mostrando ao cão quem é que manda.

Os cães mostram agressividade por dominância em várias circunstâncias e o que liga estes eventos é a tentativa dos cães de controlar situações envolvendo pessoas. Situações típicas de provocação incluem:

· Importunar um cão enquanto ele está dormindo;

· Puxar a coleira para corrigilo;

· Puxar a cabeça do cão para colocar a coleira;

· Enfeitar um cão;

· Encarar um cão;

· Mexer com o rosto ou o focinho de um cão;

· Realizar exercícios em excesso;

· Dar punição física.

Os alvos da agressão podem incluir um ou mais membros da família, ou o cão pode ser agressivo apenas com pessoas estranhas. Às vezes, alguns cães podem se mostrar agressivos apenas por stress causado, por exemplo, por um desentendimento na família que gere uma discussão.

A agressividade não é a mesma com todos os membros da casa. Um membro da família que não tenha muita dominância sobre o cão pode ser atacado com mais freqüência do que uma pessoa que é mais firme com ele, pois ele sabe que pode dominar uma pessoa subordinada a ele. Da mesma forma, alguns cães dominantes agressivos, sabendo que podem dominar pessoas submissas, as deixam de lado para desafiar o membro mais forte de família, ou seja, o líder.

A agressividade por dominância em cães, tipicamente se desenvolve na maturidade sexual, que normalmente ocorre entre 18 e 36 meses de idade (1 a 4 anos). Apesar de a maioria dos cães dominantes agressivos serem machos, esta condição pode ocorrer em fêmeas, freqüentemente em uma idade mais jovem.

Agressividade por dominância não é controlada por hormônios, mas a presença de andrógenos, incluindo a testosterona, ou a falta de estrógenos durante o desenvolvimento sexual ou social pode exacerbar a agressão. 2 Este distúrbio geralmente surge quando há conflitos na hierarquia adotada, no ponto de vista do cão. Se ele se achar superior, não gostará de seguir ordens de pessoas que estão abaixo dele. 11

Cachorros não querem igualdade, eles precisam estar acima ou abaixo de seus donos na hierarquia.

3.1. Os cães Dominantemente Agressivos

Em primeiro lugar, devemos saber que a palavra dominante não deve ser usada para descrever um cão que é somente afirmativo, confiante ou insistente. Ele pode ter todas estas características sem ser dominantemente agressivo.

Os cães com agressividade por dominância podem ser divididos em 2 grupos:

1. Aqueles que sabem que estao no controle e podem obrigar seus donos a fazerem suas vontades.

2. Aqueles que são inseguros de seus papéis sociais e usam de comportamento agressivo para mostrar o que querem.

A maioria dos cães dominantemente agressivos estão no segundo grupo. Estes cães recebem informações sobre seus limites social e comportamental baseadas em como seus donos reagem à suas agressões.

Os cães nesta categoria parecem estar incertos de seu status hierárquico na família. Os cães do segundo grupo não direcionam a agressão igualmente para todas as pessoas porque respondem diferentemente a cada interação social.

De acordo com dados obtidos na Clínica de Comportamento do Hospital Veterinário da Universidade da Pensilvânia, muitos cães do segundo grupo também exibem comportamento de atenção. Estes cães são carentes e estão constantemente procurando pessoas que deem atenção à eles. Estes cães têm um anormal desejo de controle e frequentemente desafiam outros para determinar suas posições no meio social.

Pelo fato de cães afetados terem um distúrbio de ansiedade e estarem usando comportamentos agressivos para conseguirem o que querem, a punição física nunca deve ser usada. Punição física convence estes cães que a pessoa que os pune é uma ameaça. Portanto, o comportamento agressivo irá piorar. Bater ou surrar um cão afetado cria um relacionamento conflitivo, aumentando a ansiedade e a agressividade canina.

4. Diagnóstico

Antes de realizar um diagnóstico da agressividade por dominância, retire qualquer causa médica que possa estar contribuindo para este comportamento anormal. Algumas condições médicas como infecções, neoplasias ou problemas neurológicos e seus tratamentos, podem levar cães a serem mais reativos e a se comportarem inadequadamente.

Quando as causas médicas forem retiradas, o diagnóstico pode ser feito sendo baseado apenas no sempre presente comportamento agressivo.

A agressividade por dominância não está ligada a uma circunstância especifica, e seu diagnóstico não deve ser baseado em um simples evento. Por exemplo, o diagnóstico não pode ser feito se um cão morde quando é empurrado para fora do sofá; ele pode ter se assustado ou se machucado. Mas um diagnóstico pode ser feito se um cão morde quando empurrado para fora do sofá e também exibe outros comportamentos agressivos como rosnar quando o dono puxa sua cabeça para colocar a coleira, rosnar quando é advertido sobre algo, ou quando é incomodado enquanto está dormindo.

Estes comportamentos estariam enfrentando o impulso de controle do cão, ao invés de serem atividades normais. A agressividade por dominância não está diretamente ligada à situações que envolvam comida, posse (brinquedos) ou território, mas pode ocorrer junto com estes eventos e, se isto ocorrer, a situação pode ser severa.

Cães que são dominantemente agressivos e, por exemplo, pulam no seu dono para pedir atenção endurecem o corpo e respondem com um rosnado. Mais tarde, este rosnado pode se transformar em algo mais ameaçador, como uma mordida.

A frequência e a intensidade dos comportamentos agressivos não afetam o diagnóstico, mas podem afetar o prognóstico e o potencial perigo do cão para com as pessoas.

Às vezes acontece porque ele foi agredido por uma criança,por ciú me ou achar que a criança lhe representa ameaça por querer tomar seu território.
Imagem rodapé

© 2013 Sopa Team

Voltar ao topo