Blupet
Olá visitante, faça login para participar:
Pergunta respondida

Fale a respeito da raça canina "Mastim Tibetano". Quanto mais as palavras forem suas, melhor a resposta!

353 visualizações

Respostas


Os criadores na Grã-Bretanha que adotaram esse cão o regeneraram de modo considerável e embelezaram a raça, mas muito raramente se encontra esse cão vigoroso, cuja cabeça simpática lembra um pouco a do São Bernardo. Atualmente, o Dogue do Tibete tornou-se um notável cão de companhia e de guarda, muito apegado ao dono. Ele é calmo e bastante distante. Corajoso, fiel e dócil, possui grande senso do território e mostra-se extremamente desconfiado com estranhos. Seu adestramento deve ser firme mas sem aspereza, e a cumplicidade com seu dono a base de seu bem-estar. Esse cão não é adaptado à vida na cidade. Ele tem necessidade de correr na natureza para se desenvolver. O pelo de cobertura, duro e espesso, não é muito longo. A capa, densa e bastante lanosa, torna-se um tanto esparsa sob o efeito do calor. O pelo é achatado na cauda e forma uma crina. Os posteriores são bem franjados. A pelagem desse magnífico cão pode ser de um preto intenso marcado de fogo ou não; azul, marcada de fogo ou não; ou dourada, que pode ir do fulvo intenso até o vermelho sustentado. O padrão admite uma mancha branca no antepeito e manchas brancas mínimas nas patas. As fêmeas entram no cio uma vez por ano.
Melhor resposta

O Mastim Tibetano é um cão lindo, grande e peludo! É famoso como cão leão por causa de seu tamanho e do formato de juba que seu pelo pode aparentar.Ele também é conhecido como Dogue Tibetano. É um cão muito leal e companheiro com seus donos, também é calmo quando realiza a quantidade de exercício apropriada. Não se adapta muito bem as cidades, nem a lugares pequenos ou confinamentos ( mesmo em lugares grandes). É muito resistente ao frio e a Neve.

O mastim tibetano (em chinês: 藏獒), inicialmente conhecido como mustaffa ou mastiff tibetano, é a raça que deu origem a todos os mastiff. Declarada extinta, foi recriada no fim da década de 1800, pelos britânicos. Remotamente utilizada como raça agressiva e carnívora,devido à mistura de lobos e labradores, o que difundiu esta raça gigante pela Ásia e pelo continente europeu, passou a figurar em exposições de beleza pela Europa e América do Norte. Após mais de um século de cruzamentos seletivos, tornou-se um bom cão de companhia, embora em países de temperaturas mais baixas, devido a sua grossa pelagem.

O Mastim Tibetano surgiu na Ásia Central e descende provavelmente dos cães de luta da Antiga Roma, os Molossos. Não lhe é porém associado um passado de conquistas e de lutas em parceria com os soldados daquele Império.

Crê-se que o Mastim Tibetano desenvolveu-se relativamente isolado, na calma das regiões montanhosas do Himalaia, onde ajudou os pastores nômades a cuidar dos rebanhos. Não existem muitas referências acerca da evolução posterior desta raça. Sabe-se, no entanto, que no séc.XIX alguns ocidentais visitaram o Tibete e o contacto que estabeleceram com esta estirpe foi registado em vários documentos.

O Mastim Tibetano foi pela primeira vez importado pelo Rei Geoge IV (que reinou entre 1820-1830) e, mais tarde, em 1874, chegou ao Reino Unido um casal desta estirpe. A partir de então, esta raça começou a participar em exposições e, em 1931, foi fundada a Tibetan Breeds Association, em Inglaterra. Neste mesmo ano, o Kennel Club estabelece o standard que define o seu estalão. Este standard foi igualmente adoptado pela FCI (Federation Cynologique Internationale).

Nos anos 70, estes cães começaram a ser importados para os EUA, onde foi fundado o American Tibetan Mastiff Association, em 1974. Apesar de ter conquistado muitos admiradores, esta não é uma raça propriamente comum. Existe ainda hoje nas diferentes regiões do Himalaia, onde desempenha as mesmas funções de há séculos, suportando um clima muito rigoroso.


Descrição

Este cão possui um porte largo e extremamente robusto, cuja altura varia entre os 61 e os 71 cm e o peso entre os 64 Kg e os 78 Kg. A sua pelagem é dotada de um pesado subpêlo, é espessa e de comprimento médio, e as cores variam entre: o preto homogéneo; o preto e castanho dourado; vários tons de cinzentos; cinzento com marcas douradas ou vários tons de dourado.

A sua cabeça é larga e pesada, aparentemente quadrada e dotada com um chanfro bem definido. Os olhos são de tamanho médio, castanhos e frequentemente a pelagem tem marcas castanhas sobre estes. As orelhas são em forma de “V”, de tamanho médio, e encontram-se normalmente pendentes.

Tem uma sólida estrutura óssea e os músculos são bem desenvolvidos e definidos. Este cão concilia um olhar gentil com uma forte presença .


Temperamento
É um animal talhado para ser cão de guarda, o que não significa que seja agressivo. Na verdade, é um companheiro leal e calmo, com uma forte tendência para proteger o território e a sua família.

É um cão inteligente e independente, pelo que o seu treino não é muito fácil. Dá-se bem com as crianças, mas é reservado perante estranhos.

Esta é uma raça aconselhada a pessoas com alguma experiência, uma vez que são animais dotados com grande robustez e personalidade vincada, que necessitam de um treino consistente. Se for bem socializado e integrado na família, será um animal de estimação dócil e um amigo protetor.


Observações

O Mastim Tibetano tem uma esperança média de vida que pode atingir os 15 anos. No entanto, tal como a maior parte dos cães de grande porte, podem contrair ou desenvolver algumas doenças e malformações, de que são exemplo: displasia da anca, cataratas, atrofia progressiva da retina, hipotireoidismo, síndromE de Woobblers, problemas de pele e infecções dos ouvidos.

Relativamente à manutenção do seu pêlo, ela deve ser realizada diariamente, principalmente na altura da muda de pelo. Esta acontece normalmente na Primavera ou Verão e convém que o seu pelo seja escovado todos os dias, pelo menos durante 15 minutos.

Estes cães não estão aptos a viver em apartamentos. Precisam de espaços amplos, por isso o ideal é que vivam fora de casa e tenham acesso a um jardim grande que possam esburacar.

O Mastim Tibetano não é um animal muito exigente em termos de exercício físico, até porque estes animais podem desenvolver problemas de ossos. É aconselhável proporcionar-lhe uma caminhada diária.

Esperando ter colaborado.

Gilmar

Puxa o que mais dizer sobre este lindo cachorrão??? De cabeça posso lhe dizer que é o cão mais caro do mundo e hoje, os ricos o utilizam como símbolo de seu status financeiro, pois um exemplar dessa raça foi vendida por nada menos que 4,5 milhões de reais em um leilão!!!!
Ele é enorme, peludo, forte e gosta de ambientes mais frios e é um cão de trabalho em sua essência, portanto quem mora em uma pequena propriedade ou apartamento pode pensar em outra raça rsrs
Imagem rodapé

© 2013 Sopa Team

Voltar ao topo