Blupet
Olá visitante, faça login para participar:
Pergunta respondida

Fale, com suas palavras, sobre o "Rastreador brasileiro".

196 visualizações

Respostas

Melhor resposta

O rastreador brasileiro foi a segunda raça canina brasileira a obter reconhecimento internacional pela FCI, em 1967, porém, anos depois foi declarada extinta para a cinofilia organizada, perdendo assim o reconhecimento oficial internacional. Apesar disto, ainda há cães remanescentes da criação organizada desta raça espalhados por diversos estados do Brasil, principalmente na área rural. Mas a raça ainda corre sério risco de extinção real.

O rastreador brasileiro é uma raça canina de caça, obteve reconhecimento internacional em 1967, pela Federação Cinológica Internacional, mas anos depois foi declarada extinta para a cinofilia oficial devido a um acidente que levou a óbito a maior parte dos cães da raça existentes, que eram de propriedade do idealizador da raça, o cinófilo Oswaldo Aranha Filho.

Felizmente, em troca de avaliação de desempenho na caça, Aranha Filho havia doado dezenas de filhotes machos da raça à fazendeiros e caçadores de diversas regiões do Brasil, o que possibilitou que a raça fugisse da extinção, longe da cinofilia oficial, os caçadores priorizavam o cruzamento dos cães que tivessem melhor desempenho na caça, com isso, o rastreador brasileiro pode, até aos dias de hoje, perpetuar seu sangue.

Hoje a raça é objeto de um trabalho de preservação feito pela organização não governamental Grupo de Apoio ao Resgate do Rastreador Brasileiro, que vem buscando, catalogando e realizando cruzamentos selecionados de cães descendentes da criação de Oswaldo Aranha.

Os cães remanescentes tem sido localizados por diversas regiões do Brasil, e são submetidos a testes de aptidões naturais para cães de rastro, para assegurar que os rastreadores brasileiros mantenham seu talento de cão farejador.


Na década de 1950 Oswaldo Aranha resolveu desenvolver uma raça canina que fosse especialista na caça à onça, e também à porcos-do-mato, desejou criar uma raça que fosse de coloração clara, e que não tivesse a coloração amarela, para não confundir o cão e a caça.



A raça também deveria ter capacidade olfativa, para localizar a presa mesmo que já estivesse há quilômetros de distância, e com grande capacidade venatória, com latidos e urros que indicassem ao caçador a situação da caça.



A raça também deveria ser rústica, corajosa e que nadasse bem, pois perseguiria a onça em ambientes de difícil circulação, sob o forte calor tropical, e se necessário deveria atravessar rios porque este felino é um hábil nadador.


A maneira de caçar que Oswaldo Aranha buscava nos cães era a de sempre atuar farejando, desentocando e acuando a caça para que o caçador pudesse abatela.

Com isso Oswaldo Aranho buscou acasalar cães de diversas raças, para obter em um só cão, todas as qualidades de cada raça que cruzava, com isso, cruzou selecionadamente até criar o rastreador brasileiro os cães das raças veadeiro pampeano, foxhound americano, walkerhound, bluetick hound americano, black and tan hound inglês, coonhound preto e castanho e o pequeno azul da Gasconha.

Devido a sua semelhança com um de seus ancestrais, o foxhound americano, o rastreador brasileiro também é chamado de americano no meio rural, e também é conhecido como onceiro urrador.

dogdeg.blogspot.com


A aparência é típica de cão sabujo, sua cabeça é triangular, com olhos e trufa escura, e levemente apontada ao solo, orelhas longas, de pontas arredondadas e caídas lateralmente, possui pele solta, principalmente no pescoço, mas sem no entanto formar barbelas.

São de grande porte, medem até 67 centímetros de altura na cernelha, corpo forte e retangular, com cintura pouco marcada em relação ao peito. A cauda é portada ereta e aponta para cima quando o cão está atento ou movimentando-se.


Enciclopédia Canina - Risole Editora / Década de 1970
As cores são azulino, fundo branco todo manchado de azul, os membros
anteriores e posteriores podem ser manchados de castanho, fundo branco com
grandes manchas de uma ou duas cores, pretas ou castanhas, cabeça, dorso, lombo e cauda pretos, peito, ventre e parte externa dos membros pardos.


http://antoniocatarino.blogspot.com/
Cão vivaz, alegre, sociável com pessoas e outros cães e com grandes habilidades de caça. Não possuem vocação para a guarda, mas são bons cães de alarme, com latido muito alto.

São exímios farejadores e caçadores de animais de pelo, em especial os de grande porte, atuam em duplas ou trios, ou mesmo matilhas, a forma de atuarem na caça sempre é farejando, localizando, desentocando e acuando a caça para que o caçador possa abate-la.

A altura e a variedade de sons que emitem durante as caçadas é grande, há urrados diferentes para avisar se localizaram ou perderam o rastro da caça e também indicam se estão próximos ou não do animal perseguido, entre outros.
Imagem rodapé

© 2013 Sopa Team

Voltar ao topo